Blog
6 pontos que merecem atenção ao vender produtos veganos

6 pontos que merecem atenção ao vender produtos veganos

Vender produtos veganos não é tão simples quanto parece, por isso preparamos este post com 6 pontos para considerar. Acompanhe!

As pessoas estão cada vez mais preocupadas em adotar um estilo de vida sustentável e consciente. É inegável que essa revolução vegana representa uma oportunidade de negócio e que por isso o mercado vegan está em alta, atraindo investidores curiosos.

Porém, antes de investir seu rico dinheirinho em um comércio vegano, é preciso estudar e planejar (como acontece em qualquer outro empreendimento). Vender produtos veganos não é tão simples quanto parece, por isso preparamos este post com 6 pontos para considerar. Acompanhe!

1. Coerência

Não é de hoje que falamos aqui no blog do BuscaVegan que os consumidores do século XXI tendem a conhecer melhor o que consomem e demandam mais coerência das empresas. Isso é ainda mais gritante quando se trata de pessoas  veganas, uma vez que são extremamente criteriosas ao se relacionar com uma marca.

Por isso é fundamental que ao vender produtos veganos você entenda que esse público ficará de olho no seu negócio. Ele saberá e reagirá se notar que algo não se encaixa. Tome cuidado, pois em tempos de internet notícias voam e podem prejudicar sua reputação.

2. Perfil do público

Conhecer seu público é indispensável para criar um produto que gera valor. Pessoas veganas não se resumem ao veganismo. Elas tem dores, medos, sonhos e objetivos. De que forma seu negócio pretende ajudá-las? É importante considerar essa questão na hora de estabelecer um relacionamento com o público da sua marca.

Trace a persona ideal da sua empresa, ou seja, defina quem é a ou o cliente dos seus sonhos, pois é para ela ou ele que você produzirá conteúdo, venderá seus produtos e manterá um relacionamento de longo prazo, isso se a experiência do consumidor for incrível.

3. Veganismo não está sozinho

racismo veganismo antiespecismo
Photo by Blake Wisz on Unsplash

Tenha em mente que seus clientes ou prospects esperarão um posicionamento da sua marca diante de algumas situações. Você não quer que sua abstenção prejudique a imagem do seu empreendimento, certo? Sendo assim, dialogue com o público para que ele não suponha, por exemplo, que sua marca esconde a verdadeira opinião com medo de perder vendas.

É nesse momento que seu negócio vegano não poderá ser incoerente. Isso dado que o veganismo é um movimento que não anda sozinho. Pessoas veganas, geralmente, têm um estilo de vida sustentável, preocupam-se com o meio ambiente e abraçam causas como o antirracismo, o feminismo e a luta LGBTQIA+. É válido mencionar que sua audiência não esperará menos que isso de você.

Powered by Rock Convert

4. Consciência de classe

Se você possui um empreendimento que respeita os direitos dos animais ou pretende iniciar um, saiba que lidará com vários misticismos acerca do veganismo. Um deles é a velha ideia de que é caro ser vegano.

Não podemos ignorar que roupas, calçados e cosméticos veganos, por exemplo, apresentam um preço maior quando comparados aos produtos tradicionais. Porém, precisamos lembrar as pessoas de que, às vezes, o barato sai caro e custa vidas de animais e mão de obra análoga à escravidão.

É preciso educar o público a fim de demonstrar a relevância daquilo que você oferece. Para tanto, explique que embora seja caro em termos financeiros, o valor agregado do seu produto é ainda maior, tendo em vista o impacto social positivo por se tratar de um item produzido a partir de materiais sustentáveis, mão de obra justa e insumos 100% livres de origem e sofrimento animal.

5. Transparência de preços

É fundamental aplicar políticas de transparência no seu negócio com o intuito de explicar o porquê do preço de seus produtos. Por qual motivo o cliente deve pagar 200 reais em um par de calçado vegano? Quais os atributos inerentes ao item que justifica esse investimento? O material de qualidade e livre de origem animal? A mão de obra justa e qualificada?

Apoiar causas sociais e ambientais também é uma maneira valiosa de justificar os preços da sua empresa. Por exemplo, roupas costuradas em um pequeno ateliê de mães solo, insumos fornecidos por pequenos produtores, embalagem biodegradável etc.

6. Leis

Por último, mas não menos importante, entenda tudo sobre legislação que envolve a comercialização online (se for seu caso) e o Selo Vegano. Conhecer e respeitar as leis está longe de ser um diferencial competitivo. Todavia, essa dica não pode ser ignorada, uma vez que ela é responsável por transmitir confiança e credibilidade para os clientes.

Também é interessante você pesquisar sobre os selos cruelty-free (como o da organização Peta), Fair Trade (ou Comércio Justo) e ambientais (como o Conselho de Manejo Florestal e o Rainforest Alliance). Caso sua empresa vegana comercialize alimentos, atente-se aos certificados que indicam não transgênicos.

Está preparade para vender produtos veganos? As dicas deste post são úteis, mas os estudos não param por aqui. A boa notícia é que sempre compartilhamos conteúdos para ajudar você nessa aventura que é empreender e ser adepto do veganismo.


Quer ficar por dentro das novidades aqui do blog? Acompanhe o Buscavegan no Instagram, no Facebook e no Twitter!


Mayara escreve sobre coisas que fazem seu coração bater mais forte desde 2016. Também gosta de ler, bordar, tomar café, assistir séries e afofar seu coelho (não necessariamente nessa ordem). Conheça ela no Instagram @may_paes e no @bastidordesaturno.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.