Blog
7 práticas para viver com mais simplicidade e paz

7 práticas para viver com mais simplicidade e paz

Acompanhe 7 reflexões e ensinamentos budistas da obra de Shunmyo Masuno para uma vida com mais paz e simplicidade.

É possível ter paz em meio a correria e os problemas do dia a dia? Segundo Shunmyo Masuno, paisagista premiado e mestre de um templo zen-budista no Japão, sim. Através de pequenas atitudes podemos viver com mais simplicidade e, consequentemente, felicidade.

Em seu livro “Zen – A arte de viver com mais simplicidade: 100 práticas para uma vida feliz”, o  paisagista especializado em jardins zens compartilha reflexões e ensinamentos budistas. Trata-se de um livro com escrita leve e capítulos curtos, tornando-o ideal como leitura diária.

Agora, acompanhe 7 práticas retiradas da obra de Masuno e não deixe de aderi-las para uma vida com mais paz e simplicidade.

1. Acorde quinze minutos mais cedo

“A correria faz com que você perca o contato com seu coração.”

Sabe o que torna nossa vida caótica? Dizer “não, não tenho tempo” para coisas que são importantes para nós, como passar mais tempo com a família, tomar um café da manhã de qualidade ou, simplesmente, curtir um período em sua própria companhia.

O mestre budista diz que estar ocupado não significa insuficiência de tempo. O que acontece, na verdade, é que estamos sem espaço em nosso coração.

Precisamos criar esse espaço para nos reconectar com o que importa. Portanto, acorde quinze minutos mais cedo para se alongar e respirar com calma. Tome uma xícara de café ou chá, olhe pela janela e observe o céu mudando de cor.

2. Descarte aquilo de que não precisa

“Desfaça-se das coisas antigas antes de adquirir novas.”

Sempre falamos sobre consumo consciente aqui no blog do Buscavegan, e, sinceramente, acredito que nunca é demais reforçar.

A primeira vez que li o livro de Masuno e me deparei com esse capítulo, logo pensei em falar sobre isso com vocês. Vivemos em uma sociedade capitalista, e muitos de nós tem o consumismo como uma válvula de escape. Isso gera compulsão e apego.

Experimente desapegar. Reduza posses para revigorar sua mente, uma vez que ao descartar fardos físicos você também se libertará dos mentais. Fazer uma limpeza do guarda-roupa, por exemplo, parece um ato fácil demais, não é mesmo?

Todavia, acredite, se desvencilhar de algumas bagagens será mais difícil e envolverá sofrimento, mas isso é necessário para um coração mais leve.

3. Não negligencie suas refeições

“Coma e beba de todo o coração.”

O capítulo começa com um questionamento que é super válido: quando você come, se concentra de fato no ato de comer? Ou seu café da manhã é feito às pressas? Ou fica mexendo no celular enquanto almoça? Ou janta diante da televisão?

No momento da refeição, torne a comida o foco principal. Concentre-se naquilo que você está comendo ou bebendo. Aprecie o alimento, percebendo suas texturas, cores, cheiros e gostos. Sinta gratidão por esse momento.

Powered by Rock Convert

4. Não tenha medo de mudar

“Encontre beleza nas mudanças.”

Voltamos com a ideia de se desvencilhar de seu apego ao passado. Nesse capítulo, Masuno fala que os japoneses valorizam as cerejeiras e suas belas flores evanescentes, refletindo sobre como elas os fazem sentir a efemeridade da vida.

É preciso apreciar o que é efêmero, sem se apegar a esses momentos. A nossa vida está em fluxo constante —  isso significa que não há como evitar as mudanças, pois elas, eventualmente, ocorrerão dentro e fora de nós.

Exercite a resiliência. Em vez de lamentar o que mudou, procure a beleza e a esperança do novo. Enxergue as possibilidades, mantenha a mente aberta.

5. Plante um pequeno jardim em sua varanda

“Você pode afiar sua mente, não importa onde esteja.”

Tenha um lugar na sua casa para dedicar à sua mente e praticar a comunhão com a natureza. A ideia é criar um ambiente onde você possa relaxar, enquanto aprecia a paisagem, toma sua bebida favorita ou medita. Existe uma grande chance de esse se tornar seu local favorito.

Além disso,  cultivar plantas ou uma horta em casa pode ser benéfico para toda a família. As verdinhas contribuem para a qualidade do ar, apresentam efeitos curativos, inspiram criatividade e, no caso da horta doméstica, colaboram para uma alimentação mais saudável.

6. Aprofunde sua ligação com alguém

“Concentre-se num único encontro.”

A superficialidade dos relacionamentos atuais incomoda você? Faça algo para mudar isso em sua vida. Em um mundo de redes sociais e networking, quanto mais gente conhecemos, melhor. Entretanto, será que conhecer mais, significa conhecer melhor?

A resposta para essa pergunta é não, quando pensamos na vida pessoal. No fim do dia, são poucas as pessoas com quem podemos contar. Com isso em mente, pode ser mais enriquecedor nutrir um único relacionamento significativo do que estabelecer cem conexões insubstanciais.

7. Aproveite a vida ao máximo

“Sua vida é sua, mas não pertence a você.”

Masuno afirma que, no budismo, a palavra jomyo representa o tempo predestinado a cada um. Isso significa que todos temos um tempo determinado para a duração de nossa vida, mas nenhum de nós sabe qual vai ser.

Infelizmente, algumas pessoas não são agraciadas com um jomyo longo, mas o valor de uma vida não é determinado por sua duração. Ainda assim, devemos aproveitá-la ao máximo, tratando-a com carinho, sabedoria e gratidão.

E aí? Como você vai usar a sua vida hoje?

Foto (linda!) por Mayara Paes

Gostou deste post? Então compartilhe o conteúdo em suas redes sociais.


Mayara escreve sobre coisas que fazem seu coração bater mais forte desde 2016. Também gosta de ler, bordar, tomar café, assistir séries e afofar seu coelho (não necessariamente nessa ordem). Conheça ela no Instagram @may_paes e no @bastidordesaturno.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.