Blog
Alimentação vegetariana contra a ansiedade

Alimentação vegetariana contra a ansiedade

O campo da psiquiatria nutricional está crescendo e tem evidenciado muitas correlações entre o que comemos e como nos sentimos. Entenda mais!

Todos nós já fomos fortemente impelidos à geladeira em momentos de ansiedade, e a terapia para superar os momentos de tristeza à base de sorvete é um clássico nos filmes com decepções amorosas.

A ansiedade é uma resposta normal ao estresse ou a uma situação que represente algum perigo. A nossa resposta imediata e automática nos conduz a uma sensação de “luta ou fuga”.

Mas quando esta sensação se instala de forma permanente no dia a dia e condiciona o seu bem-estar, pode ser necessária ajuda profissional.

O campo da psiquiatria nutricional está crescendo e evidencia muitas consequências e correlações entre o que comemos com a forma como nos sentimos e como nos comportamos. É um assunto que ganha cada vez mais força. Por isso, acompanhe este texto para entender um pouco mais sobre como a alimentação pode ajudar a combater a ansiedade!

Hábitos que podem estimular a ansiedade

Uma má hidratação, o consumo de álcool e de cafeína e o hábito de fumar podem precipitar e estimular os sintomas de ansiedade, sem contar estresse.

Picos altos de açúcar também podem imitar uma crise de ansiedade a um ataque de pânico, assim como os períodos prolongados de jejum, em que são gerados estados hipoglicemiantes de diminuição dos níveis de açúcar no sangue, podem simular sintomas de depressão.

Além disso, a farinha processada e refinada também pode provocar mudanças de humor. A cafeína, por ser considerada um estimulante, pode causar ou aumentar a ansiedade e outros sinais e sintomas relacionados com o estresse de diversas formas. O álcool também pode aumentar a ansiedade e o stress.

Importância da alimentação para a ansiedade

Ingerir alimentos que atuam como anti-inflamatórios pode ser uma alternativa na regulação dos níveis da ansiedade, pois são importantes para os neurotransmissores sintetizarem e equilibrarem o humor e a resposta ao stress. Veja alguns deles.

Freepik

Vitamina B

As Vitaminas B ajudam a combater o stress e a estabilizar o humor. A vitamina B6, em particular, funciona como um regulador natural para a ansiedade, já que estimula o humor, equilibra os níveis de açúcar no sangue e mantém um sistema nervoso saudável.

Por isso, quando existe uma deficiência da vitamina B6, surgem determinados sintomas, como ansiedade, irritabilidade, depressão, alterações no humor, dores musculares e fadiga.

Além disso, a vitamina B12 também é importante para combater o stress crônico, perturbações de humor e depressão. Ajuda a melhorar a concentração, a melhorar os níveis de energia e permite que o sistema nervoso funcione de forma mais adequada.

Magnésio

O magnésio desempenha muitos papéis importantes no organismo, pois nos ajuda a relaxar os músculos e a acalmar o sistema nervoso. Além disso, é vital para regular certos hormônios que são cruciais para acalmar o cérebro e promover o relaxamento.

Ômega-3

 Também não podemos colocar o ômega-3 de lado quando falamos de bem-estar e da regulação da ansiedade. Vários estudos mostram que este nos ajuda na estabilização dos níveis de açúcar no sangue e na redução de dores musculares, ósseas e articulações por diminuir a inflamação; melhora o humor, prevenindo a depressão; melhora a concentração e a aprendizagem; e melhora o desempenho do sistema imunológico.

Ou seja: tudo de bom!

Importância de uma microbiota saudável para combater a ansiedade

Por fim, mas não menos importante, manter uma microbiota saudável é essencial. A microbiota intestinal humana é composta por um enorme número de microrganismos que exercem inúmeras funções importantes para nosso organismo e influencia de forma direta nos transtornos da saúde mental, principalmente na ansiedade e depressão.

A interação entre a microbiota e o cérebro é tamanha (eixo intestino-cérebro), que esta é considerada como nosso segundo cérebro. Ela influencia diretamente na digestão e metabolização de precursores da serotonina e dopamina (neurotransmissores importantes na manutenção do humor), e é responsável pela produção de 95% da serotonina de nosso organismo.

Para manter a microbiota saudável devemos: aumentar o consumo de alimentos in natura, de prebióticos (como as fibras) e de probióticos (microrganismos vivos).

Também é indicado evitar o uso indiscriminado de antibióticos, o consumo de bebidas alcoólicas, de alimentos ultraprocessados e de frituras.

______

É importante considerar a complexidade dos transtornos mentais como a ansiedade, uma vez que no desenvolvimento do quadro há a intervenção de numerosos fatores além do nutricional. Por exemplo, as diferenças genéticas entre os indivíduos, que fazem com que os déficits nutricionais repercutam mais ou menos no risco de se adoecer.

O que importa ao nosso cérebro é a diversidade e a harmonia entre os nutrientes. A dieta é como uma orquestra que pode emitir uma linda música, a saúde, se a cultivarmos.

Portanto, manter uma alimentação que favoreça a saúde do intestino e a produção correta de neurotransmissores é um fator (e apenas um) fortemente aliado ao combate e prevenção da ansiedade, mas não substitui a procura por um profissional psicólogo ou psiquiatra.


Natália acredita na harmonia entre (todos) os seres terrestres. É uma estudante da vida, psicóloga clínica e institucional, e adepta à alimentação consciente. Conheça seu trabalho no instagram @manifesto.psi!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.