Blog
Como conviver com parentes e amigos não veganos?

Como conviver com parentes e amigos não veganos?

No post de hoje, fizemos um "manual" de sobrevivência para festas e ocasiões em que há muita gente carnista, e assim você conseguirá sair iles@ (ou pelo menos tentar, porque tem gente que consegue tirar até Buda do sério). Acompanhe!

Época de festas chegando, período que a gente revê pessoas que não via já há um tempo e outras que não faz tanto tempo assim. Nessas horas começam as perguntas clássicas de “como está a vida?”, “e @s namorad@s?”, “e os estudos?” etc. Quem nunca sofreu disso, saiba que é um privilégio!

Mas quando a gente vira veg(etari)an@, as perguntas começam a ser outras:
– E aí, não desistiu de ser natureba?
– Nossa, mas como você está frac@. Você está comendo bem?
– Quando você vai voltar a comer carne?
E mais várias outras perguntas, que vão desde os motivos de virar vegetariano até os pré-julgamentos de que sem carne não há proteínas.

Aliás, fizemos um post com perguntas interessantes sobre o veganismo, que pode te ajudar a responder.

No post de hoje, fizemos um “manual” de sobrevivência para festas e ocasiões em que há muita gente carnista, e assim você conseguirá sair iles@ (ou pelo menos tentar, porque tem gente que consegue tirar até Buda do sério). Acompanhe!

Pesquise

Não deixe de ir às reuniões sociais por ser vegetarian@ (a não ser um churrasco, que, dependendo de como você reage ao cheiro ou como você enxerga a carne, será desagradável).

Os restaurantes, principalmente nas cidades grandes, têm começado a entender a necessidade de criar pratos veg(etaria)nos. Caso você tenha o poder de escolha, sugira um lugar que tenha pratos para todos os gostos.

Se não tiver opção para você (sempre pesquise antes o cardápio do lugar), tente comer antes de sair alguma coisa, e na hora você come uma batatinha frita (santa batata).

Crie memórias

Caso seja na casa de alguém, leve sua própria comida ou leve os ingredientes para você fazer. É possível também você levar o suficiente de ingredientes para fazer para os convidados, assim as pessoas também podem experimentar e ver como a comida vegan é boa!

(Só cuidado: na maioria das vezes o pessoal gosta tanto que acaba quase esquecendo que você tem que comer.)

Uma vez as pessoas gostando dos pratos que você levar, elas com certeza vão ter na memória que veg(etari)ano tem comidas muito boas, e elas vão fazer questão de continuar te convidando <3

Powered by Rock Convert

Amor no coração

Lembre-se de que, a não ser que tenha nascido e crescido já vegetariano, você já comeu carne. Evite criar faíscas em relação à sua escolha. Tente compreender que as pessoas não enxergam o que você vê, assim como um dia já não enxergou.

Aliás, ter empatia é uma das melhores formas de o mundo ser melhor: se o carnista tivesse empatia, ele não questionaria suas escolhas. Mas, enfim, como tem gente que realmente não sabe praticar este significante ato de humanidade, tente você pensar que aquela pessoa não tem a bagagem que você já tem em relação ao sofrimento dos animais.

Documentários sobre veganismo
Freepik

Sessão pipoca

Caso a conversa esteja muito petulante, desconverse perguntando se a pessoa já viu algum documentário sobre veganismo dos que você provavelmente assistiu antes de virar veg. Se não, sugira que ela assiste, ou então até, se tiver esse espaço, sugira que assistam no momento, fazendo uma sessão-pipoca.

Se não der tempo ou não tiver espaço para isso, mostre um trailer, chame para ir à sua casa, ou só desconverse se você não gostaria daquela amizade para sempre.

Lembre-se

Muitas pessoas se sentem “atacadas” quando você diz ser veg(etari)an@ por ser algo diferente do normal. Elas vão querer achar algum ponto fraco seu, pegar no seu pé até você enfim dizer chega e mandar todo mundo lá longe.

Por isso, tente ficar zen. Tente praticar o autocontrole emocional, cuide-se mentalmente. Você verá essas pessoas só daqui a um ano de novo!

E uma última coisa: tem gente que demora para entender, mas é necessário lembrarmos que vivemos em um país que vive da pecuária, tem uma cultura enraizada nisso. Muitos ainda não compreendem que dá para viver sem carne. Se você ainda for mais novo, é normal seus pais ficarem preocupados de sua alimentação não estar completa sem proteína animal. Neste caso, sugira ir a uma nutricionista vegana, que te ajude nesse processo.


De verdade, para mim, Marina, não é fácil ainda almoçar vendo alguns pratos de carne com minha família. Mas é um processo que às vezes pode demorar mais que o esperado.

Hoje já evitamos falar sobre esse assunto, porque já entenderam que sou uma defensora ferrenha, e também já começamos um novo processo: começar a sair para comer sempre em restaurantes vegetarianos. Desse modo, eu consigo comer bem e, no fim das contas, o resto da família também!

Espero que tenham gostado das dicas! E boa sorte!!

Encontre produtos veganos em um lugar só.
Compre diretamente com a marca. A gente só te ajuda a comprar.

Clique aqui para conhecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.