Blog
Cuidados com a saúde mental e o vegetarianismo

Cuidados com a saúde mental e o vegetarianismo

Vamos abordar com a psicóloga Natália sobre a saúde mental na transição para o vegetarianismo ou veganismo.

Para começar nossa nova série de artigos sobre Saúde Mental no Vegetarianismo, vamos abordar um tema muito comum: a saúde mental na transição para o vegetarianismo ou veganismo. 

Quando começamos a estudar a indústria animal, é natural que surja uma frustração por nos depararmos com uma realidade de tanta crueldade e sofrimento, da qual vínhamos fazendo parte e contribuindo. 

O sentimento de tristeza e impotência podem tomar conta. É essencial nesse momento prestar atenção nos sentimentos e emoções que surgem, e não apenas reagir de forma automática a eles. Observe-se e pergunte-se: O que eu estou sentindo? O que está causando esse sentimento? De que forma eu posso ajudar a mim e ao mundo a melhorar?  

Limites

É incrível que você tenha compaixão com os animais e tenha força de vontade para ajudar a mudar a forma tão desumana que nós os tratamos. Mas atente-se aos seus limites! Tanto emocionais quanto físicos. Você vinha vivendo de uma forma específica sua vida inteira, e será um choque para seu corpo e mente ao mudar de uma hora para a outra. 

Com a sua intenção posta no seu objetivo, cada passo bem dado é um passo mais firme e perto de onde você quer chegar.

Freepik

Frustrações

Após a frustração de tomar consciência do processo da indústria animal, outra frustração que toma conta de nós é quando compartilhamos nossa descoberta com a família, amigos e conhecidos, esperando que eles se sintam tão incomodados quanto nós e que também busquem alternativas para melhorar a situação. 

Normalmente, não é isso que acontece: as pessoas têm perspectivas muito diferentes sobre a mesma situação, nem sempre reagem ou estão dispostas a ir a lugares diferentes por um propósito. 

Powered by Rock Convert

Não é tão fácil para algumas pessoas como para outras fazer as conexões e entender os problemas do especismo. Por isso é importante não se cobrar muito e não entrar na crença de que outras pessoas não se sensibilizaram com a causa ou não se tornaram veganas por uma falha tua. 

Porém, também é essencial não nos afastarmos dessas pessoas! Quando estamos isolados é muito mais fácil cair nessa espiral de sofrimento.

Também é comum transformarmos toda essa frustração em raiva e sair à procura de culpados para toda essa situação. Dessa forma, não conseguimos pensar claramente em como buscar alternativas para ajudar a pessoa a enxergar esse problema de forma diferente.

Formas de lidar

A melhor maneira de lidar com quem não é vegetariano é chamar as pessoas de seu convívio para uma conversa franca, sem ironia ou ataques. Explicar por que isso é importante pra você, por que você tem isso como prioridade, expor como você se sente, mostrar que você estudou e buscou informações para se apropriar do que está fazendo em relação à sua saúde e à do planeta, e dizer que espera a compreensão e ajuda deles para passar por isso da melhor forma possível.

Apenas fazer com que as pessoas estejam abertas a pelo menos observar o seu processo já fará com que elas entrem em contato com essa outra realidade da indústria animal e vivenciem através de você que as coisas podem ser diferentes. 

Abordar essa questão através do ataque apenas fará com que os outros se defendam e se fechem para qualquer argumento. Portanto, um diálogo sincero, compartilhando sentimentos e ideias de como chegar em um mundo melhor, buscando união e não separação, é o caminho mais leve e eficiente rumo a um mundo sem violência com todos e qualquer ser vivo. 

Por fim, não esqueça de se cuidar. Acolha seus sentimentos e limitações. Se sentir que seja necessário, não hesite em buscar ajuda com outras pessoas ou até mesmo profissional (faça terapia rs). 

Não é sozinho que iremos mudar o mundo! Então não coloque todo esse peso em cima de você. 


Natália acredita na harmonia entre (todos) os seres terrestres. É uma estudante da vida, psicóloga clínica e institucional, e adepta à alimentação consciente. Conheça seu trabalho no instagram @manifesto.psi!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.