Blog
Faça seu desidratador solar caseiro

Faça seu desidratador solar caseiro

Um alimento desidratado tem nutrientes preservados sem necessidade de refrigeração. Confira como fazer um desidratador solar!

O princípio do desidratador é a utilização da energia do sol para retirar a água de frutas, legumes e ervas. Por isso, trata-se de um sistema de fácil construção e baixo. Não utiliza nada que não possa ser encontrado em lojas de material de construção de bairro, mas também todas as peças podem vir do reaproveitamento de coisas encontradas no nosso dia-a-dia, portanto com certeza pode ser construído com custo baixo.

Recomendamos fortemente a preferência aos reciclados e reaproveitados, e que, claro, não tragam prejuízos à saúde!

Fonte: Jardim do Mundo

Por que desidratar?

Um alimento desidratado pode ser armazenado por muito mais tempo, sem necessidade de refrigeração ou congelamento, e seus nutrientes continuam preservados. Além disso, ocupam pouco espaço, o que facilita o transporte também.

Por ser um equipamento simples e rústico, é possível fazer o desidratador solar com uma grande variação de modelos e tamanhos, mas sempre respeitando a mesma lei da física. Acompanhe a seguir.

O processo de desidratação deste equipamento ocorre partir do aquecimento do ar no interior da caixa através do vidro, o que leva a evaporação da umidade dos alimentos, seguido por sua expulsão forçada pela circulação do ar através da caixa. A expulsão é provocada pelo posicionamento de duas aberturas: uma posicionada na faixa inferior da face frontal e outra oposta a esta, na face posterior, posicionada na faixa superior. Assim o ar aquecido (mais leve) no interior é expulso, levando junto a umidade, dando espaço para a entrada de ar frio (mais pesado) pela abertura inferior.

partes de desidratador solar
Fonte: Sitio Curupira – Adaptado

Para que funcione corretamente, o desidratador deve ficar exposto ao sol, sempre em sua direção. Portanto, é preciso ter em mente dois fatores na hora de posicionar a caixa: angulação e direção do sol.

Simplificando, o ideal para ter um bom aproveitamento o ano inteiro e durante o melhor período do dia, sem que os alimentos fiquem escorregando, é colocar o desidratador em um ângulo próximo aos 20°. Para calcular mais especificamente para sua região, utilize a fórmula: 

Ângulo = Latitude Local + 10º

Exemplo:

desidratador solar como fazer

O que fazer com o desidratador solar

Basicamente todos os alimentos podem ser desidratados, porém devemos tomar o máximo de cuidado com a segurança alimentar. Não é aconselhável a desidratação de alimentos de origem animal, como carnes, pescados e ovos.

Powered by Rock Convert
como desidratar frutas
Fonte: Tecnova Organics

Cada alimento vai ter um tempo necessário para ser desidratado. Existem muitas informações em livros especializados, mas podemos tirar nossas conclusões experimentalmente (pelo tato, visualmente ou por outros sentidos). Por exemplo, algumas frutas vão ficar murchas como uva passa, enquanto outras ficarão quebradiças como biscoitos. Ervas são facilmente identificáveis quando estão secas e desidratadas. 

Outra grande vantagem nesta prática é a possibilidade de, depois de desidratados, os alimentos serem moídos em um liquidificador, transformando-se em farinhas.

Boas práticas na utilização

A higiene é sempre a maior preocupação quando se trata de alimentos, portanto, alguns cuidados são importantes para evitar a proliferação de micro-organismos:

– A melhor prática para a preparação do alimento a ser desidratado é fazer boa lavagem em água corrente, depois colocá-lo na solução de hipoclorito de sódio e lavá-los em água corrente novamente.

– Para frutas e legumes, corte em fatias ou rodelas finas.

– Algumas frutas podem escurecer após o corte. Para evitar isto deixe os pedaços submersos por cinco minutos em um litro de água com um limão espremido e depois seque-os e coloque-os dentro do desidratador, sempre com um espaçamento entre eles para permitir a passagem do ar. 

– Ainda no caso das frutas, é possível prolongar o tempo de conservação usando sal ou açúcar.

Vale a pena consultar um nutricionista para pegar mais dicas a respeito.

E aí, animou?


Fontes:
Sempre Sutentável
ICMBio


Luíza Caldas é engenheira ambiental, fundadora da @vamos.coviver e do @obiobar. Permacultura, comunidades sustentáveis e conexão de pessoas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.