Blog
Frugívoros: o que é, onde vivem e o que comem?

Frugívoros: o que é, onde vivem e o que comem?

Os seres humanos compartilham de um ancestral comum com os macacos: os primatas. Tudo indica que nossa dieta deveria ser frugívora. Entenda!

O que é?

Frugívoro é a definição da biologia para os primatas que comem primariamente frutas e vegetais. Eles não vivem só de frutas e vegetais, castanhas também são bastante consumidas por eles, mas extraem a maioria de suas calorias dessas fontes.

Os seres humanos, da espécie Homo sapiens sapiens, compartilham de um ancestral comum com os macacos, ou seja, os primatas. Dessa forma, tudo indica que nossa dieta natural se constitui de alimentos como os primatas comem: frutas e verduras.

O que se come?

Tanto no criacionismo quanto no evolucionismo se é dito que a dieta na época do Jardim do Éden era primariamente de frutas, nozes e legumes (Gênesis 3:18). Nós somos anatomicamente, fisiologicamente e bioquimicamente feitos para comer frutas e vegetais: temos a capacidade de enxergar as cores delas, de alcançar os frutos e vegetais com nossos polegares opostos, de digeri-los da forma ideal para nosso corpo e de sentir o sabor doce. São, então, características de uma raça primariamente frugívora, feita pra procurar, alcançar e consumir frutas como seu alimento principal.

Há 8 milhões de anos os seres humanos habitam a Terra, e apenas há cerca de 10 mil anos que os grãos entraram em sua dieta. Antes disso, não havia cozimento, fogão e panelas. Ou seja, dependíamos apenas de nossas ferramentas anatômicas para nos alimentar.

Na atualidade, por causa da disposição de ferramentas, consumimos outros alimentos com a ajuda do fogo e da fermentação, mas esses alimentos não são fisiologicamente nem bioquimicamente compatíveis com nosso organismo e não possuem uma quantidade de micro e macronutrientes compatíveis com nossa fisiologia. Esses alimentos não evoluíram conosco.

Na Era Glacial, 100 mil anos atrás, inteligentes como somos, passamos a desenvolver outras formas de se alimentar. No período Neolítico, há 10 mil anos, houve a revolução agrícola, na qual começamos a produzir grãos, a domesticar animais e a adquirir muitos dos problemas de saúde atuais.

Grãos, por exemplo, são para pássaros, pois pássaros possuem bicos alongados que facilitam a colheita e o papo para fermentar os grãos. Por isso eles não desenvolvem sensibilidade ao glúten: foram feitos para comer grãos. O mesmo acontece com animais carnívoros, que sofrem de diabetes quando alimentados com carboidratos e frutas.

Como comem?

Sendo assim, devemos nos questionar: será que conseguiríamos comer glúten (grãos) na natureza? Alimentos processados? Queijo? Carne todos os dias em todas as refeições?

Todos os animais na natureza comem direto da planta ou do animal, direto da fonte, tal como ela é e está, sem alterar o alimento de qualquer forma. Não conseguimos comer grãos crus, por exemplo, pois para a gente o alimento é insosso. É claro que grãos germinados ainda são melhores que alimentos de origem animal, mas definitivamente não fomos feitos pra comer grãos. Se temos que encher de sal e condimentos pra comer, significa que não é um alimento feito pra raça humana.

Experimente comer mais frutas e vegetais in natura, alimentos naturalmente fisiológicos ao ser humano. Tudo que conseguimos pegar com a mão e sentir o sabor: frutas, vegetais, castanhas. A natureza colocou tudo de que precisamos para viver, nossa medicina, na comida.

Powered by Rock Convert
frugivorismo só come fruta
Freepik

Por que ser frugi?

Quando alimentados com dieta sem fibra, carnes e farinhas, os seres humanos sofrem de diverticulite, hemorroidas, câncer de cólon etc. Dietas hiperlipídicas causam inúmeros tipos de câncer, doenças cardiovasculares, entre outras. Para evitar essas doenças, o que se vê então é a sugestão de se comer os alimentos mais naturais para os seres humanos: frutas e vegetais.

A ciência da epidemiologia comprova que as frutas e os vegetais são infinitamente mais saudáveis e protetores contra doenças como câncer, diabetes etc. São antioxidantes por conterem fitonutrientes, vitaminas e minerais, além de serem poderosos anti-inflamatórios (a inflamação é hoje a maior causa das doenças). Também são antivirais – e regulam o sistema imunológico –, são ricos em enzimas – que auxiliam na desintoxicação, removendo até mesmo metais pesados – e protegem contra alergias e doenças respiratórias, além de estarem inversamente relacionados ao sobrepeso.

Um dos principais estudos de mortalidade do mundo mostra que o consumo insuficiente de frutas é uma das principais causas de mortes no mundo.

Ademais, além de comer o alimento de outras espécies, comemos de forma errada. Ao cozinhar, processar e misturar diferentes alimentos, perdemos nutrientes e formamos toxinas, elevando absurdamente a chance de o resultado final nos fazer mal. Portanto, ser frugi ainda oferece maior praticidade no ato de se alimentar, poupando o tempo de cozimento e processamento dos alimentos, deixando esta parte do preparo para a natureza.

Sem falar na degradação no planeta que a produção de alimentos de origem animal e com químicos gera, já explorado pela luta do veganismo.

Alimentar-se de frutas é criar um mundo mais calmo, passivo, ético, sustentável, altruísta. Garante uma geração mais saudável geneticamente, pois você está remodelando seus genes que vão gerar DNAs mais saudáveis. E protege o planeta e os animais enquanto nutre seu corpo com alimentos vivos e apoia o trabalho de produtores locais.

Cuidados na transição

É importante lembrar que desde que nascemos fomos ensinados a nos alimentarmos de uma forma, então não será de um dia para o outro que conseguiremos fazer as mudanças que queremos. Uma transição agressiva, além de não ser saudável para a mente, não é saudável para o corpo.

Quando começamos a nos alimentar de forma mais natural, nosso corpo começa a entrar em um processo de limpeza. Na verdade, ele sempre está pronto para entrar neste processo, mas com alimentos mais leves e saudáveis encontra sua oportunidade.

Dor de cabeça, tontura e fraqueza são alguns dos sintomas que esse processo pode nos causar quando o corpo começa a tirar de nossas células e mandar para o sangue para ser eliminando todas as toxinas que viemos acumulando a tempos. Portanto, é essencial respeitarmos nosso corpo nessa transição e ir com calma.

Faça suas pesquisas, se conscientize e viva o processo.


Natália acredita na harmonia entre (todos) os seres terrestres. É uma estudante da vida, psicóloga clínica e institucional, e adepta à alimentação consciente. Conheça seu trabalho no instagram @manifesto.psi!

Will Powa é skatista e descobriu na dieta Plant Based o verdadeiro remédio para curar e prevenir adoecimentos físicos e mentais, além de viabilizar o enorme potencial do organismo humano. Cursa nutrição e trabalha com acompanhamento em transições para dietas saudáveis. Conheça seu trabalho no Instagram @powahealthyfood !


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.