Blog
Quais os impactos do consumismo na vida da mulher?

Quais os impactos do consumismo na vida da mulher?

O marketing apelativo sabe qual é o ponto fraco de muitas de nós: a autoestima. Entenda os efeitos da cultura de consumo no feminino.

Com a proximidade das festas de fim de ano, é comum nos depararmos com uma cena recorrente: lojas e shoppings abarrotados e consumo desenfreado e desnecessário. É quando compramos impulsivamente coisas das quais não precisamos para impressionar pessoas que não se importam.

O marketing desses comércios são ainda mais apelativos quando se tratam de crianças e, claro, de mulheres. Eles sabem qual é o ponto fraco de muitas de nós: a autoestima. Quando não estamos bem com nós mesmas, compramos um sapato novo, marcamos hora no salão, aderimos a cremes milagrosos, fazemos um procedimento estético… Essa lista só cresce. Não importa qual seja a válvula de escape: ela sempre tem a ver com a forma como somos ensinadas a nos enxergar e com o consumismo.

 As empresas entendem a insegurança feminina como algo lucrativo e se aproveitam disso. Por meio de seus produtos e serviços, vendem uma ideia errada de autoestima. Contudo, pensando bem, sair de uma loja carregando sacolas na mão e construir um corpo a base de cirurgias plásticas é o que realmente precisamos? É assim que encontraremos a tal felicidade?

Sabemos que a resposta é não. Está na hora de abrirmos nossos olhos para essas campanhas publicitárias falsas e olhar com mais carinho para nosso interior.

Acompanhe  o post de hoje e entenda os efeitos da cultura de consumo no feminino.

Consumismo na moda feminina

Acaba uma estação e com a outra, a necessidade bizarra de renovar o guarda-roupa para “estar na moda”. Há sempre algo irresistível, não é mesmo? E você, mesmo não precisando, quer desesperadamente ter aquela peça nova. Na verdade, surgem várias tendências momentâneas e não aderir a elas desperta em nós o sentimento de ficar para trás em alguma coisa.

Os efeitos do consumismo na moda feminina é fortíssimo, ainda mais em tempos de redes sociais, quando somos levadas a nos comparar o tempo todo com a vida “perfeita” de outras mulheres. Todavia, esse é um modelo de consumo insustentável que gera necessidades supérfluas e reforça o sistema patriarcal.

Consumo e os impactos na pele da mulher

As revistas e as fotos editadas do Instagram fizeram você acreditar na “pele perfeita”, mas ela simplesmente não existe. Todos os dias somos bombardeadas com informações e induzidas às fórmulas químicas que são testadas em animais e que causam doenças.

Powered by Rock Convert

Tudo isso para quê? Nunca chegaremos nesse resultado irreal, nunca estaremos no mesmo nível que as grandes marcas querem nos fazer acreditar que existe. E está tudo bem, pois não precisamos gastar todo nosso dinheiro e saúde mental adquirindo milhares de produtos de skincare e sofrendo com cada nova decepção.

Veja bem: não estamos dizendo para você não cuidar da sua pele. O autocuidado é uma das bandeiras que o Buscavegan mais levanta por aqui. A questão é consumir de forma consciente. Inclusive, trabalhamos com parceiras da área da beleza que dão um show de sustentabilidade.

Efeitos do consumismo no corpo feminino

Chega a ser obsessiva a forma como odiamos o nosso corpo, mas existe um porquê. Desde crianças somos ensinadas a comer de menos para nos encaixarmos em padrões. Além disso, a maioria de nós começa a praticar exercícios físicos com o único objetivo de emagrecer, e não de prazer. Isso diz muito sobre as mulheres inseguras e insatisfeitas que nos tornamos.

Gastamos dinheiro com cremes e géis redutores, remédios, shakes, chás de emagrecimento, cirurgias plásticas, massagens e outros procedimentos estéticos para alcançar um estereótipo de beleza que nos aprisiona e que só existe por meio do consumismo. Entenda: ele não é natural.

Aprenda a amar seu corpo, seu templo. Sabemos que isso não é tão simples, portanto é fundamental cuidar da sua mente também. Busque por uma ou um profissional de psicologia.

Impacto do consumo nos cabelos da mulher

Photo by Anna Shvets from Pexels

Os cabelos não ficam de fora dessa onda de consumo, especialmente quando falamos do cabelo da mulher negra. Desde novas, elas são ensinadas a alisá-los através de produtos químicos agressivos e a gastar seu dinheiro com cremes e modeladores para ficarem mais parecidos os fios lisos da mulher branca.

Isso quando elas não são pressionadas a clareá-los por meio de tinturas que prejudicam a saúde dos seus fios e couro cabeludo. É importante mencionar que nem sempre é o que realmente querem, pois a sociedade é condicionada a admirar os fios longos e loiros, bem como os olhos claros. É triste pensar que nossa aparência também é usada para subjulgar outras irmãs, não é mesmo?

Percebeu o quanto o consumo vem dominando a mulher ao longo dos anos? Os efeitos do consumismo na autoestima da mulher é algo sobre o qual precisamos refletir para orientar nossas ações a afim de não nos deixarmos levar a ponto da indústria se beneficiar de nossas inseguranças. Vamos lidar com nossa ansiedade e insatisfação de maneira mais consciente. Combinado?


Achou este post útil? Faça com que outras mulheres tenham acesso. Compartilhe em suas redes sociais!


Mayara escreve sobre coisas que fazem seu coração bater mais forte desde 2016. Também gosta de ler, bordar, tomar café, assistir séries e afofar seu coelho (não necessariamente nessa ordem). Conheça ela no Instagram @may_paes e no @bastidordesaturno.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.