Blog
Você já ouviu falar em vegafobia?

Você já ouviu falar em vegafobia?

Vegafobia: você sabe o que significa esse termo? Convido você a continuar a leitura e a refletir.

Já reparei que quando menciono meu trabalho no blog do Buscavegan é comum me encararem com certo descontentamento, como se eu estivesse cometendo algum crime. Quase sempre torcem o nariz para mim e fazem comentários hostis sobre como pessoas veganas são chatas. Inclusive, fiquei chocada ao notar que, às vezes, esse tipo de comportamento também vem de alguns vegetarianos.

Não fiquei ofendida, mas não pude deixar de refletir sobre a realidade de muitas pessoas veganas ao assumirem esse estilo de vida. Sempre acontece de terem que justificar essa escolha para familiares, amigos e colegas de trabalho, além da necessidade de ter muita paciência para aguentar as piadinhas e os argumentos que aparecem em uma tentativa de refutar essa decisão tão pessoal.

Pesquisando sobre o tema, encontrei a palavra que descreve essas situações e muito outras: vegafobia. Você sabe o que significa esse termo? Convido você a continuar a leitura e a refletir comigo.

O que é vegafobia?

Embora o movimento vegan esteja ganhando força ao longo dos anos, relatos de pessoas que são assediadas por não consumirem produtos de origem animal é bastante comum. Recentemente, li o caso de um adolescente que foi obrigado a comer bacon pelos colegas da escola.

Nesse contexto, a vegafobia é o ódio explícito e intolerante contra vegetarianos e veganos, que ocorre por meio de violência física e verbal. Além do bullying escolar, esse tipo de repressão também fica evidente em depredações de estabelecimentos e em propagações de conteúdos formadores de opinião que incitem o ódio e a intimidação. O objetivo dessas atitudes inaceitáveis é brecar o crescimento desse que é um movimento social tão importante: o veganismo.

Para ficar ainda mais claro o perigo que é a vegafobia, há casos horripilantes de repressão na política, como durante o regime soviético,quando Stálin deportou líderes de grupos vegetarianos e combateu fortemente a disseminação desse estilo de vida na Rússia.

Entretanto, não precisamos ir muito longe na história para encontrar casos de vegafobia. Em 2016, uma deputada conservadora da Itália apresentou um projeto de lei para que pais de crianças veganas fossem presos, culpado-os de ameaçar a integridade física de seus filhos.

Não podemos ignorar os maiores beneficiados com a vegafabia: os pecuaristas, os empresários lacto-frigoríficos e os cientistas envolvidos com experimentação animal. O crescimento do veganismo representa uma ameaça direta a essas iniciativas.

No entanto, pessoas veganas não podem se calar. É necessário seguir com a luta pelo direito dos animais e por um modo de viver mais ético e sustentável.

Powered by Rock Convert

Por que pessoas veganas são odiadas?

O ódio irracional direcionado às pessoas veganas é motivo de reflexão para psicólogos. Afinal, todes, inclusive um grande número de carnistas, desejam um mundo com menos sofrimento animal. Sendo assim, o que justifica todo esse ressentimento contra aqueles que tentam amenizar o problema?

Existe um pré-conceito enraizado em nossa sociedade acerca de como são pessoas veganas. Em muitas descrições, elas são ditas como hipócritas porque “colher plantas é o equivalente a matar animais” e convencidas por “sempre se vangloriarem” de não consumirem nenhum produto de origem animal.

Uma percepção pessoal que tenho é que, às vezes, as pessoas colocam defeito nas coisas que gostariam de fazer, mas que são feitas por outres. Cheguei nessa conclusão lendo sobre o paradoxo da carne, uma espécie de “esquizofrenia moral”, segundo os especialistas.

Essa teoria diz que o cérebro nos protege de realidades que não queremos encarar. Isso acontece, por exemplo, quando uma pessoa tem duas visões incompatíveis ao mesmo tempo, como achar os porcos bonitinhos, mas, em seguida, jantar linguiça.

Photo by Alexandra Novitskaya from Pexels

Para lidar com esse paradoxo, alguns de nós fingem que a carne que compram no açougue ou no mercado não tem ligação com animais. Essas pessoas não gostam de pensar em tudo o que aconteceu para que o produto chegasse até suas mãos.

Por outro lado, existem as pessoas que expressam a vegafobia e que, em vez de alterar o seu comportamento ou a sua crença, lutam internamente para ignorar esse paradoxo. E a forma que elas encontram para lidar com essa situação é por meio do ataque. Isso porque o contato com veganos joga luz nesse paradoxo, causando profundo desconforto.

Como falar que sou vegana ou vegano?

Toda pessoa vegana ou que pretende aderir ao veganismo já passou ou passa pela difícil situação de comunicar aos parentes e aos amigos essa mudança radical no estilo de vida. Nesse momento, é comum surgir o medo de ser julgado ou, até mesmo, de virar piada. Pensando em facilitar esse processo para você, separamos algumas dicas básicas. Veja:

  • tenha paciência: as pessoas, de certo, vão insistir para que você consuma carne, ovos e leite, mas isso não será por mal. Ainda existe o mito de que esses produtos são indispensáveis para a manutenção da saúde;
  • seja paciente consigo mesme: se você está passando pela transição para o veganismo, tenha em mente que, como todo processo, isso requer tempo. Faça mudanças sem pressa e com responsabilidade;
  • estude muito para tirar todas as possíveis dúvidas sobre veganismo que surgirão nessa conversa, como a ingestão de proteínas, cálcio, vitamina B12 etc;
  • respeite a opinião das outras pessoas: não passe a impressão de que a sua verdade é absoluta e nem tente “converter” alguém ao veganismo. Você pode apresentar o estilo de vida, mas faça isso de forma gentil e respeitosa;
  • faça receitas veganas: prove que a culinária vegana vai além da salada;
  • leve estudos que comprovem que é possível comer bem sendo vegano;
  • diga que fará exames regularmente para que sua família não fique preocupada.

Esperamos que este post tenha sido útil para você e que sirva para te dar força ao assumir uma parte tão importante da sua vida. Quando enfrentamos algum tipo de violência, como a vegafobia, é sempre interessante contar com o suporte de pessoas que entendem da situação (no caso, pessoas veganas), mas caso isso não seja possível, saiba que sempre poderá contar conosco.

Você já sofreu com a vegafobia? Deixe um comentário com seu relato ou nos mande um direct pelo Instagram. Vamos conversar e nos fortalecer.


Mayara escreve sobre coisas que fazem seu coração bater mais forte desde 2016. Também gosta de ler, bordar, tomar café, assistir séries e afofar seu coelho (não necessariamente nessa ordem). Conheça ela no Instagram @may_paes e no @bastidordesaturno.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.