Blog
Você sabe o que é o aterramento energético?

Você sabe o que é o aterramento energético?

Às vezes, fica difícil até de entender as nossas emoções. Se esse for seu caso, talvez você esteja precisando equilibrar suas energias. Conheça o grounding!

Em tempos de pandemia e distanciamento social, é comum sentir como se estivesse sem muita vitalidade. A ansiedade e os outros sentimentos negativos causados por esse período difícil causam reações diversas nas pessoas, como dificuldade em estar no momento presente e sensação de desconexão com o corpo físico e com o meio em que se vive.

Às vezes, fica difícil até de entender as nossas emoções —  e de lidar com elas, não é mesmo? Se esse for seu caso, talvez você esteja precisando equilibrar suas energias (lembrando que é sempre importante buscar o apoio psicológico também, combinado?).

Pensando nisso, preparamos este post sobre aterramento energético. Continue a leitura para entender o que é e como usar esse método a seu favor.

O que é aterramento energético?

O ano era 1993 quando Clinton Ober, um empresário da indústria dos cabos, descobriu um abscesso grave no fígado. A doença resultou na remoção de boa parte do seu órgão, tornando necessário o repouso por vários meses e o uso de medicação diária.

Durante a cicatrização e em meio à dor pós-operatória, ele teve uma percepção que mudou sua maneira de enxergar a vida. Na época, ele sentia como se perdesse muito tempo cuidando de suas “coisas”, então resolveu se desfazer de suas posses e correr atrás de algo mais significativo.

Por causa de suas cirurgia e dores, Clinton desenvolveu um grande interesse por saúde. Paralelo a isso, sua expertise em cabos fazia com que entendesse sobre a importância de sistemas elétricos serem conectados com a terra para trabalhar de forma segura e eficaz.

O fio terra, nesse sentido, é o condutor cuja função é conectar à terra todos os dispositivos que precisam da eletricidade, isso de modo seguro, evitando curtos-circuitos e choques elétricos. Clinton sabia que esse mecanismo era responsável, também, por eliminar a “sujeira” elétrica dos componentes, descarregando a carga eletrostática acumulada na terra.

Um dia, Clinton relacionou esse procedimento (o aterramento) com a conexão das pessoas com a terra, daí surgiu o nome aterramento energético. Ele notou que o mundo industrializado inviabiliza o nosso contato com a terra. Afinal, estamos sobre automóveis para nos locomover ou usando calçados com solas de materiais que impossibilitam a condução da eletricidade, como borracha, madeira e plástico (isso sem mencionar o asfalto entre uma coisa e outra).

Isso tudo nos afasta da energia natural da terra. E essa constatação o fez questionar: “poderia essa desconexão afetar a nossa saúde?”.

A partir daí, o empresário fez uma série de testes e desenvolveu uma espécie de “colchão de aterramento” até chegar a conclusão que a terra tem uma enorme influência sobre nossa saúde e bem-estar.

Inclusive, o Dr. Ghaly, um médico anestesista aposentado, começou a realizar pesquisas a fim de provar que Clinton estava errado, mas teve uma surpresa ao perceber que todos os participantes de sua pesquisa apresentaram níveis de cortisol (hormônio liberado em resposta do estresse) mais naturais.

Agora que eu contextualizei o método para você, vamos à resposta para a pergunta desse tópico: o aterramento energético, ou grounding, é, basicamente, uma prática para equilibrar nossas energias vitais. A técnica serve para aterrarmos, ficarmos mais pé no chão e conscientes da situação presente.

Por que preciso do grounding?

o tempo inteiro estamos trocando energia com o meio e com as demais pessoas. Isso não é ruim: aprendemos, crescemos, nos renovamos e, em alguns casos, desenvolvemos nossa espiritualidade assim. Todavia, por vezes, acontece um acúmulo de energia que sufoca, pois nem sempre conseguimos descarregar tudo o que recebemos e produzimos.

Descarregar essa energia excessiva é fundamental para ficarmos saudáveis e equilibrades, e o grounding é um aliado na hora de lidar com essa influência energética. Mas como saber se preciso do aterramento? Veja alguns sinais que seu corpo pode dar:

  • sensação de desconexão de tudo e todos;
  • dores de cabeça sem explicação;
  • dificuldade de concentração;
  • cansaço com mais frequência;
  • agitação e ansiedade*;
  • sono inquieto e que não é restabelecedor;
  • apetite instável;
  • mãos e outras extremidades mais frias.

* insira aqui o link para o post Os melhores métodos para controlar a ansiedade.

Como recarregar minhas energias?

Existem muitas maneiras de deixar a energia fluir a fim de ter mais saúde e equilíbrio emocional. Tendo em mente que o aterramento pode ocorrer de forma interna (presença) ou externa (ações), confira alguns exercícios para você testar:

  • agache com apoio na parede, de pés descalços. Basta encostar e agachar, mantendo os pés na linha dos ombros. Fique nessa posição até sentir as pernas tremerem;
  • em contato direto com o chão, feche os olhos e pense na situação que está incomodando você (sem focar muito,  pois a ideia é se manter no presente). Respire fundo e inspire, deixando essa emoção ir em direção à terra;
  • ande na terra com pés livres de calçados. Mentalize a energia negativa sendo drenada pelo solo;
  • esteja em contato com a natureza. As árvores, em especial, produzem muito energia positiva. Portanto, sente-se sob uma e relaxe. Sinta a energia da natureza entrando em você e permita que a energia negativa flua para longe. Outra ideia é ter plantas em casa;
  • feche os olhos e imagine que seu corpo se torna montanha para, em seguida, se transformar em pedra. Visualize essa montanha crescendo, até tocar no céu.

Não se isole da terra, não abra mão dessa conexão com a natureza. Pise no chão, caminhe sem calçados e descarregue toda essa energia em excesso que acumulamos conforme vivemos nossas vidas em meio à loucura das cidades. Todos somos parte da natureza e é essencial praticar o aterramento energético para não nos distanciarmos da nossa fonte original, evitando maus desdobramentos para nossa saúde física e/ou psicológica.

Você já conhecia essa técnica? Deixe um comentário!


Mayara escreve sobre coisas que fazem seu coração bater mais forte desde 2016. Também gosta de ler, bordar, tomar café, assistir séries e afofar seu coelho (não necessariamente nessa ordem). Conheça ela no Instagram @may_paes e no @bastidordesaturno.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.