Blog
Você sabe o que é slow marketing?

Você sabe o que é slow marketing?

Se você não se identifica com a maneira tradicional de vender, conheça o slow marketing! Continue a leitura!

Uma empresa vegana é sempre munida de convicções e valores, tais como a luta pela causa animal, o respeito pela vida, o fomento à diversidade e o acolhimento às minorias. Isso se dá, provavelmente, porque por trás do empreendimento há um ser humano cujas aspirações vão além do retorno financeiro. Essa pessoa, e todas as outras que fazem parte do negócio, carrega o desejo de tornar o mundo um lugar mais justo e melhor para todos e todas, pessoas e bichos, por meio da promoção do que se acredita.

Para comercializar mais do que um produto — uma nova consciência, uma transformação na forma de enxergar a vida —, às vezes, será necessário abrir mão da maneira tradicional de vender. Foi pensando nessa ressignificação que preparamos este post para falar sobre o slow marketing. Você já ouviu falar sobre isso? Continue a leitura!

Qual é o significado do movimento slow?

Quantas vezes já confundimos a qualidade com a agilidade? Será que ser uma pessoa produtiva significa ser capaz de realizar mais tarefas em menos tempo? A reflexão é válida, ainda mais se lembrarmos que há indivíduos adoecendo por, entre outras razões, não cumprirem determinadas expectativas ou, simplesmente, por não se encaixarem em padrões estabelecidos pela sociedade, como conseguir fazer aquilo que “todos” deveriam ser capazes de fazer.

Não podemos perder de vista que o ser humano é diverso em muitos sentidos: em vivências, em aprendizados, em conhecimentos, em sentimentos, em desejos, em necessidades etc. É errado, e cruel, esperar essa padronização. Há quem consiga viver sob pressão, fazendo duas ou mais coisas ao mesmo tempo, mas também existem pessoas que não se encaixam nesse grupo. E está tudo bem!

Alguns de nós gosta de viver em seu próprio ritmo, mas para isso é preciso introspecção e autoconhecimento, pois quebrar a barreira da expectativa social é um desafio dos grandes.

Nesse sentido, o movimento slow é uma revolução cultural contra a ideia de que o rápido é o melhor. A filosofia do slow life visa a qualidade e não a quantidade, isto é, o fazer tudo da melhor forma e não o fazer da maneira mais veloz.

Com tantas pessoas aderindo a esse recente estilo de vida, já era de se esperar que a tendência fosse transferida para o mundo dos negócios. E não é que o movimento slow tem tudo a ver com pequenas empresas (ainda mais com lojas veganas)?

O que é slow marketing?

Você já parou para pensar que o termo marketing, em algumas situações, é usado como sinônimo de ações falsas e manipuladoras? Como se o único intuito fosse aliciar pessoas ao consumo através de cores, sons e frases de efeito? O consumidor está cada vez mais atento ao tipo de marketing praticado pelas marcas que consome, pois não quer se relacionar com quem foca no lucro a qualquer custo.

Em vista disso, é cada vez mais imperioso a busca por um marketing consciente — e é a partir daqui que podemos nos concentrar no conceito de slow marketing. Trata-se de uma proposta de trabalho mais preocupada com a essência do negócio. Mais do que vender, a estratégia envolve a empresa como um todo: a escolha de fornecedores e de obras-primas, o cuidado dos colaboradores, o atendimento aos clientes e, por fim, as vendas.

O slow marketing não perde de vista a filosofia comportamental de produção e consumo natural do movimento slow, o qual diz que as decisões de compra se baseiam em um senso comum, respeitando os valores da marca que ressalta a responsabilidade socioambiental, a qualidade sobre a quantidade e a autenticidade.

Como praticar o slow marketing na empresa vegana?

A implantação desse serviço deve ocorrer considerando questões que vão além do superficial e do comercial. Por exemplo: uma marca de roupas não pode se preocupar somente em alinhar suas peças com as tendências de moda.

Além de se atentar à questão comercial, uma loja vegana adepta ao slow marketing carregará em seus produtos e na forma de estabelecer contato com o público uma causa que agregue valor à marca. Assim, atrairá a atenção da audiência que compartilha dos mesmos valores. Usando a marca de roupas como exemplo outra vez, podemos pensar em uma empresa que se importa com a origem do algodão, com o bem-estar de suas costureiras, com a logística reversa dos seus produtos a fim de minimizar seus impactos no meio ambiente.

Acredite: o marketing é um ingrediente essencial na construção de uma marca consciente, afinal ele definirá a forma como seu público interno (colaboradores) e externo (clientes, fornecedores e comunidade) perceberá você. Sendo assim, não deixe de considerar o slow marketing em seus processos.

Ficou alguma dúvida sobre o tema? Deixe um comentário!


Mayara escreve sobre coisas que fazem seu coração bater mais forte desde 2016. Também gosta de ler, bordar, tomar café, assistir séries e afofar seu coelho (não necessariamente nessa ordem). Conheça ela no Instagram @may_paes e no @bastidordesaturno.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.